quarta-feira, 11 de maio de 2011

RESENDE: DENÚNCIA

Os moradores do bairro Lavapés, em Resende, estão muito preocupados. E com razão. O Parque Zumbi, que era uma área de lazer para crianças, jovens e adultos, virou a cracolândia da cidade. Na segunda-feira, um amigo que mora quase em frente ao local me pediu para fazer um post sobre o assunto. Essa foi a terceira reclamação de pessoas conhecidas que moram próximo ao Parque Zumbi. E em duas semanas.





- Nice, o Parque Zumbi é o ponto de encontro dos viciados em crack. Aquilo está insuportável. Um perigo para todos que moram lá perto ou que precisam passar por ali. Eu e minha mulher evitamos sair à noite. Eles ficam rondando os carros, e é uma escuridão só. Até os amigos evitam visitar a gente com medo do que possa acontecer. A polícia some e ficamos totalmente inseguros.


Nesta terça, dia 9, doze crianças da Escolinha de Futebol do bairro Lavapés estiveram no Plenário da Câmara de Vereadores durante a sessão. E sujas de barro, para reivindicar o abandono do Parque Zumbi.





Vale lembrar que a segurança pública é responsabilidade do Estado, e não do município. O Artigo 144 da Constituição Federal, no § 8°, diz que os municípios podem criar “Guardas Municipais destinadas à proteção de seus bens, serviços e instalações, conforme dispuser a lei.” É claro que existe uma parceria entre a Guarda Municipal e a Polícia Militar, mas dentro do que está disposto na lei. A Guarda Municipal tem limitações.

Antes de escrever esse post fui à Superintendência de Ordem Pública e relatei o fato diretamente ao responsável, Sr. José Antonio dos Santos. Também conversei sobre o fato com José Antonio Pinto, secretário de Governo, e na Ouvidoria Municipal conversei pessoalmente com o responsável, Antonio Augusto Leão.



Resende vem desenvolvendo uma excelente política de prevenção às Drogas, sem dúvida. Tanto na prevenção primária quanto na prevenção secundária. Mas acredito na necessidade urgente de um trabalho severo de repressão às drogas. É mais do que sabido que os traficantes das comunidades pacificadas do Rio de Janeiro estão ocupando as cidades do interior. E agora também temos o Oxi, uma droga ainda mais devastadora que o crack. A situação é muito séria!

2 comentários:

Andreia disse...

Chega de ficar calado e aguentando esses usuários inoportunos, que a polícia faça seu trabalho e encarcere os viciados e seus fornecedores. As vezes é necessário a força para que se tenha paz.
ótima denúncia, continue assim.

NICE PINHEIRO disse...

A situação é mais delicada Andreia. Na verdade, o ideal seria que esses usuários não apenas fossem encarcerados, mas que recebessem tratamento adequado para deixar o vício. Sei que esse pensamento é basicamente utópico, mas é nisso que acredito. Uma política pública eficaz no combate à prevenção primária, secundária e terciária. Numa política pública eficaz de repressão ao uso e ao tráfico de entorpecentes. E numa justiça e numa polícia que realmente façam um trabalho sério em todos os níveis do tráfico de armas e de drogas, com a colaboração das forças armadas nas fronteiras e nas ruas. Isso pode ser feito, mas depende de coragem política. Coragem. É isso. Obrigada pela participação.

abraços

Nice Pinheiro